Paulo Malaguti Pauleira

PAULO MALAGUTI PAULEIRA

Foi um dos fundadores do grupo Céu da Boca, com o qual lançou os LPs “Céu da Boca” (1981) e “Barato total” (1982), no qual constou sua música “Clarisse”.

Em 1985, participou, ao lado de Marlene, do show “É com esse que eu vou”, sobre a obra do compositor Pedro Caetano. O espetáculo foi  apresentado na Sala Funarte Sidney Miller pela Série Carnavalesca, com roteiro e direção de Ricardo Cravo Albin.

Em 1987, suas composições “Vacilady” (c/ Fábio Girão) e “Elisa” foram registradas pela cantora Clara Sandroni no LP “Daqui”.
Em 1994, formou, juntamente com Muri Costa, Rita Peixoto, Soraya Ravenle e Eveline Hecker, o grupo Arranco de Varsóvia (hoje Arranco), com o qual lançou, em 1997, o CD “Quem é de sambar”, no qual constou sua composição “Arranco de Varsóvia”. Com esse trabalho, o grupo foi indicado para o Prêmio Sharp de Música, na categoria Melhor Grupo de Samba.

No ano seguinte, gravou, com o grupo Arranco, o CD “Samba de Cartola”, que valeu ao grupo mais uma indicação para o Prêmio Sharp de Música, na categoria Melhor Grupo de Samba. Nesse mesmo ano, apresentou-se com o conjunto na Expo 98 em Lisboa.

Com o Arranco, gravou em vários discos de outros artistas, como “Cantoria”, de Hermínio Bello de Carvalho, “50 anos”, de Aldir Blanc, “Grande tempo”, de Fátima Guedes, “Agô! Pixinguinha”, além do disco do Bloco Carnavalesco Simpatia É Quase Amor.

Trabalhou com diversos artistas, como Edu Lobo, Wagner Tiso, César Camargo Mariano, Sebastião Tapajós e Clara Sandroni.

Em 2000 e 2001, integrou o elenco do show “Cantores do Chuveiro – 100 Anos de MPB”, espetáculo com roteiro e direção de Ricardo Cravo Albin, que percorreu vários teatros do Rio de Janeiro.

Lançou, em 2011, o primeiro CD de carreira solo, “Larga do meu pé, bossa nova”, produzido por Paulo Brandão. O disco contou com a participação de Muri Costa (violão), Fernando Caneca (violão e guitarra), Zé Luiz Maia (baixo), Zé Carlos Bigorna (sax), Marcelo Costa (percussão), e ainda do Arranco de Varsóvia, grupo do qual é fundador e integrante, entre grandes músicos. No repertório, suas canções  “Três dias de ventania” (c/ Leoni), “Atravessar”, “Vem, vamos”, “Eu sou o namorado da Luiza Brunet” e a faixa-título, entre outras.

Fez show de lançamento do disco na Sala Municipal Baden Powell (RJ), tendo a seu lado Domingos Teixeira (violão), Leandro Vasquez (baixo) e Murilo O’Reilly (percussão). O espetáculo contou com a participação especial de Lenine.

Ao lado de Miltinho, Aquiles e Dalmo, em 2013 passou a integrar a nova formação do MPB4, inaugurada em show de lançamento do CD “Contigo aprendi”, no Teatro Rival (RJ).

Fonte: Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira